Dr Eduardo Adnet


Médico Psiquiatra e Nutrólogo

Nunca Consultou com um Psiquiatra? Então leia isto.

Como é a Consulta com um Médico Psiquiatra? Psiquiatra é Médico de Loucos?

Não há registro em toda a história humana de um período tão conturbado como o que estamos vivendo. As pressões são muitas e vêm de todos os lados: pressões no trabalho, dificuldades financeiras, problemas familiares, dificuldades de convívio, traições, querelas e litígios, falsos testemunhos, pessoas agressivas e frias, perdas pessoais diversas, infidelidade, violência por todos os lados, enfim, um mundo que está muito mais para um imenso vale de lágrimas do que para um mar de rosas. E o que todas estas coisas tendem a causar nas pessoas? Insegurança, medo, ansiedades e depressões.

Todos estes fatores listados acima tendem a causar um desequilíbrio psíquico e afetivo nas pessoas, e uma vez instalado esse desequilíbrio podem ser muitas as formas de apresentação dos sintomas que as pessoas passam a experimentar: desânimo, tristeza, inquietação, medos, insônia, tremores, dores no estômago, diarréias, queda de cabelos, pruridos pelo corpo, desestímulo, um cansaço fora do normal, pensamentos autodestrutivos, idéias pessimistas, queda no desempenho funcional no trabalho ou nos estudos, irritabilidade, enfim, uma como que nuvem negra começa a pairar sobre a vida das pessoas e o sofrimento psíquico passa a se tornar uma constante desagradável no dia a dia.

E como o Médico Psiquiatra pode Ajudar?

A Psiquiatria (do grego Psyché = alma; + iatria = tratamento médico) é a especialidade médica que diagnostica e trata dos transtornos da mente, da personalidade, dos afetos e do comportamento. Nossa função profissional como médicos é não somente promover a saúde mental e física, mas também identificar disfunções, sejam elas orgânicas ou psíquicas, e tratá-las. Para dar exemplos: Se alguém apresenta intensas dores na coluna vertebral, procedemos à investigação médica da coluna do paciente (através de uma Tomografia Computadorizada, por exemplo), e se houver a presença de alguma lesão, esta deverá ser adequadamente tratada. Este tipo de problema é conhecido por lesão orgânica (de órgão). Por semelhante modo, as disfunções da psiquê (alma/mente) e as disfunções dos afetos (sentimentos, emoções) - portanto disfunções psico-afetivas - também precisam ser investigadas e adequadamente tratadas. Porém, não se pode tirar uma Tomografia Computadorizada da alma de ninguém, assim como não se pode dosar a angústia das pessoas através de um exame de sangue. Todavia, existem técnicas e metodologia específicas da Psiquiatria a fim de que os problemas da mente e da alma sejam investigados e, consequentemente, tratados.

Vale aqui mencionar que existem doenças que pertencem ao território da Neurologia e da Psiquiatria, como a doença de Alzheimer, sequelas neurológicas pós-Acidente Vascular Cerebral (AVC), a Epilepsia, dentre outras, onde podem ser visualizadas lesões através de exames de imagem, por exemplo. Porém a imensa maioria dos transtornos psiquiátricos não é visível a não ser pelas manifestações clínicas da doença (os sinais e os sintomas) e pelas alterações do pensamento, dos sentimentos e do comportamento da pessoa acometida. E uma vez detectado o problema, passa-se, cuidadosamente, ao diagnóstico do problema. Este deve ser feito com cuidado, com acurácia e técnica, sem precipitações, a fim de que o paciente entenda bem o que se está passando com ele. Em seguida, passa-se ao tratamento adequado ao problema diagnosticado.

Os Tratamentos em Psiquiatria

Existem basicamente três grandes grupos de tratamento em Psiquiatria: O Tratamento Psicoterápico (aquele que é feito sem a prescrição de medicamentos), o Tratamento Farmacológico (feito com medicação psiquiátrica - antidepressivos, ansiolíticos, estabilizadores do humor, antipsicóticos, dentre outros), e o Tratamento Combinado, em que o Psiquiatra se utiliza do Tratamento Psicoterápico e do Tratamento Farmacológico.

Seja qual for o tratamento recomendado, este só deve ser iniciado após um esclarecimento objetivo ao paciente sobre os objetivos do tratamento, sua provável duração, seus custos, seus possíveis efeitos adversos (no caso do tratamento com medicação), sendo o paciente quem irá decidir se aceita ou não o tratamento proposto. É o chamado acordo terapêutico entre o Psiquiatra e o Paciente. Por isso a relação médico-paciente deve ser orientada visando um excelente relacionamento entre ambos, pautado na ética, na técnica e no respeito ao ser humano.

A chamada "Consulta de Retorno" é cobrada? Há uma Resolução do Conselho Federal de Medicina que trata deste assunto. Para ler o documento, clique aqui.

Por que o Psiquiatra é chamado de Médico de Loucos?

Por um motivo muito simples. Até algumas décadas atrás (anteriormente a Segunda Grande Guerra - 1939-1945), havia não somente pouca sofisticação no diagnóstico psiquiátrico, assim como eram muito precários os meios de tratamento em psiquiatria. Logo, diagnósticos como Esquizofrenia, Psicose-Maníaco Depressiva, Retardo Mental, dentre outras doenças psiquiátricas, eram todas enquadrados em um único termo: “loucura”, sobretudo por leigos. A psiquiatria já existia àquela época, logo os psiquiatras eram os médicos que tratavam dos “loucos”.

Isto tudo mudou dramaticamente nas últimas décadas, sobretudo após a década de 90. Hoje a Psicopatologia, a ciência que estuda os Transtornos Mentais, é altamente sofisticada, e os métodos de tratamento psiquiátrico bastante eficazes em sua grande maioria. Logo, o termo “médico de loucos” já não mais se justifica em nossos dias, até porque as doenças psiquiátricas mais frequentes (prevalentes) nada têm a ver com loucura.

Segundo um estudo realizado pelo Instituto Nacional de Saúde Mental dos Estados Unidos, dentre os Transtornos Psiquiátricos mais frequentes na população estão:

-Os Transtornos do Humor: As Depressões, o Transtorno Distímico, o Transtorno do Humor Bipolar, e os Suicídios.
-Transtornos de Ansiedade: Síndrome do Pânico, Transtorno Obsessivo-Compulsico (TOC), Transtorno de Estresse Pós-traumático, Ansiedade Generalizada, Fobia Social, Agorafobia, Fobias Específicas.
-Transtornos da Alimentação
-Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade
-Esquizofrenia
-Doença de Alzheimer
-Autismo

Dr Eduardo Adnet

Médico Psiquiatra e Nutrólogo